Pentágono do nada

Neste feriado de 9 de julho, dia em que nós, paulistas, comemoramos a revolução constitucionalista de 1932, resolvi dar uma volta por algumas cidades do interior do estado à procura de alguma cafeteria.

Pentágono do nada

Meu caminho começou em Valinhos, por volta das 15:00h deste último domingo. Tudo fechado, nenhum sinal de civilização, apenas poucas padarias se arriscaram a abrir as portas. Peguei estrada sentido Vinhedo e as coisas foram ficando piores, nem padarias eu encontrava aberto. Depois de rodar todo o centro de Vinhedo, peguei a estrada vicinal que liga Vinhedo a Itatiba à procura de alguma fazenda produtora de café.

Em Itatiba minha decepção foi ficando maior pois novamente encontrei tudo fechado. Rodei o centro, os bairros em volta e nada estava aberto. Em um pequeno empório, vi alguém fechando o caixa, mas as luzes estavam apagadas.

No dia seguinte, peguei a estrada sentido Jarinu – quem sabe na segunda-feira as cafeterias estariam abertas. Em Jarinu está acontecendo a tradicional festa do morango e o comércio estava aberto, as lojas de materiais de construção, o açougue, o alambique, as padarias e farmácias, mas eu não achei nenhuma cafeteria na cidade.

Tomei novamente uma estrada vicinal, sentido Jundiaí, que é uma cidade grande. Cheguei logo após o almoço. No GPS encontrei uma dezenas de cafeterias e uma a uma fui visitando-as. Todas fechadas!

Quando começou a escurecer desisti de minha busca. Muito frustrado por não encontrar nada que fosse digno de ser mencionado no site, resolvi batizar essa região de Pentágono do nada, pois não consegui encontrar nada relacionado a café que eu pudesse mencionar no site. Justo nesta região que tem, em sua grande maioria de colonos, os Italianos.

Se alguém conhece, nesta região, algo que deixei passar, por favor me avise, quero muito escrever sobre isso.

Bom começo de semana a todos.

Deixe uma resposta