Café Fazenda Movimento

Durante uma tarde de fevereiro, senti um forte e agradável aroma de café. Indaguei minha esposa se ela estava fazendo café. Minha surpresa foi quando ela respondeu, lá da cozinha, que tinha acabado de abrir esta amostra de café e não tinha começado a prepará-lo ainda.

A forma como o aroma se espalhou instantaneamente pela casa foi incrível. Dentre todas as amostras que eu já tive a oportunidade de receber, esta foi a que mais me espantou pelo aroma.

Café Fazenda Movimento

Café Fazenda Movimento

Preparei-o de diversas maneiras. Usei minha recém-adquirida Hario, usei a AeroPress e, posteriormente, a máquina de espresso. De todas as maneiras o resultado obtido foi muito bom.

Na Hario eu consegui uma bebida muito doce, frutada e encorpada. Na AeroPress, o aftertaste foi incrível. Por último, na máquina de espresso, a bebida extraída estava balanceada, doce e com uma acidez agradável. Me incomodou um pouco o amargor. Senti um amargor diferente, ainda não sei explicar. O aftertaste também foi muito agradável.

Café Fazenda Movimento

Café Fazenda Movimento

Deixando de lado minha impressão, a análise técnica deste café foi muito bem. Ele está presente em algumas grandes cafeterias, mas não consegui encontrá-lo em outros lugares, o que torna-o de difícil comercialização. A embalagem tem a válvula de respiro e as demais características importantes, mas peca em alguns detalhes, como por exemplo, as informações do produtor. Tais informações podem ser obtidas pelo site do produtor.

Os grãos são bem formados, a torra é de média a clara, característica que muito me agrada, pois você tem que ter um café muito bom para comercializá-lo com esta torra.

Análise:

  • Facilidade de compra: 4,00
  • Embalagem: 4,00
  • Grãos: 4,50
  • Aroma pré extração: 5,00
  • Aroma pós extração: 4,50
  • Corpo: 5,00
  • Acidez: 5,00
  • Doçura: 5,00
  • Amargor: 4,00
  • Aftertaste: 5,00
Total de Pontos no Ranking: 46,00

Curso de Formação de Baristas – CafemaQ

Primeiramente, gostaria de agradecer ao amigo Gustavo pelo espaço cedido, no site Guia do Cafezinho, para que eu pudesse relatar minha participação no Curso de Formação de Baristas, realizado pela CafemaQ Campinas e ministrado pelos baristas Silvia Magalhães e Fernando Santana.

O curso acontece a cada 1 a 2 meses, durante 3 dias, sendo organizado de forma vertical, com aulas práticas e teóricas, e abordando desde o plantio e seleção de grãos até a preparação de cafés e seus drinques.

O primeiro dia é destinado à história e cultivo do café, colheita, torra e moagem dos grãos. Após a aula prática, o aluno tem contato com os diferentes tipos de grãos e realiza testes de olfato para reconhecimento dos diferentes aromas que os grãos possuem. Ainda no primeiro dia, apresenta-se os principais métodos de preparo do café e suas respectivas particularidades. Discute-se sobre café turco, espresso, cafeteira Italiana, filtro de papel, coador de tecido, prensa francesa e máquina de sache.

O segundo dia é dedicado exclusivamente ao espresso e à máquina que o prepara. O aluno passa o dia aprendendo a regular o moinho, moer o grão da forma adequada, manipular a máquina corretamente e extrair o verdadeiro espresso. O aluno tem várias máquinas a disposição e é estimulado a usá-las por horas até  conseguir extrair um espresso que o professor considere como perfeito. Ao final desse dia, aprende-se a limpar o moedor e a máquina de espresso, deixando tudo pronto para o dia seguinte.

O último dia pertence ao cappuccino e aos drinques de café. No período da manhã ensina-se a vaporizar o leite corretamente e a preparar o cappuccino italiano, sem canela e chocolate! Pratica-se a vaporização por horas, até que se chegue à cremosidade e textura ideais para o cappuccino. A tarde os alunos tem contato com os drinques a base de café. Aprende-se drinques tradicionais, como o “Irish Coffee”, e drinques exclusivos assinados pelos professores, como o “Fresquíssimo”. Ao final, os alunos devem criar 2 drinques diferentes, um frio e um quente. Encerra-se o curso com uma rápida prova teórica, mas que destina-se apenas para melhorar os cursos futuros.

Após 3 dias imersos, literalmente, no mundo do café tem-se a sensação de que este curso foi apenas o primeiro passo de uma longa caminhada. A busca pela xícara de café perfeita continua, mas agora com muito mais conhecimento e paixão.

* Texto enviado por Luis Otávio.

Obrigado por compartilhar sua experiencia.

Where does coffee come from?

Feliz 2014

Desejamos a todos vocês que nos acompanharam neste ano de 2013 muito sucesso, saúde, paz e realizações neste novo ano que se inicia!

Feliz 2014

Feliz 2014

Feliz Natal

Desejamos a todos vocês, um Feliz Natal!

Feliz Natal 2013

Feliz Natal 2013

Muito obrigado pela companhia!

Barãozinho

Olá pessoal, eu sou o Barãozinho!
Vim ajudar o pessoal do Guia do Cafezinho a escolher os melhores cafés!
Agradeço à Camila Santinelli – que ajudou a escolher meu nome – e ao Darci Campioti – que me desenhou. Vou enviá-los, de presente, um café que aprecio muito!

Barãozinho

Barãozinho

Cápsulas de Café

A cápsula de café permitiu que, mesmo sem um curso ou alguma preparação, qualquer pessoa pudesse extrair uma bebida de qualidade. O uso da cápsula é muito simples e ajudou a evoluir o paladar brasileiro.

Tive a oportunidade de experimentar algumas marcas e tenho algumas máquinas de cápsulas em casa. O que se deve ter em mente é que, se uma marca vende milhões de cafés no mundo, ou mesmo no Brasil, ela não compra o café de 1 produtor somente. Desta forma, ela não pode – de forma alguma – garantir que, por meios naturais, o café comercializado no Rio Grande do Sul tenha o mesmo gosto e a mesma qualidade que o café comercializado no Acre, ou mesmo na Finlândia. Processos químicos e industriais fazem com que o gosto e aroma tornem-se padrão em todo o mundo.

Deve-se manter sempre em mente que a quantidade gigantesca de produção de café não significa igual qualidade. O Brasil é o maior produtor de café do mundo, mas não é o melhor. Produzir imensa quantidade de café tem seu preço como, por exemplo, mecanizar a colheita e o processamento do café. O bom e velho café em grãos lhe permite comprar cafés de pequeno produtores, de gente que dorme pensando na planta e acorda fazendo a melhor forma de colheita e beneficiamento do café.

Cápsulas de Café

Cápsulas de Café

Se você quer apenas um bom café, sempre muito bem tirado, cheiroso e cremoso, as cápsulas foram feitas para você. Sempre perfeita, a bebida sai igual em cada tirada, como se fosse clonada. Além disso, a cápsula é uma boa opção para quem busca praticidade.

Existem atualmente no mercado uma grande variedade de cápsulas de café. Cada grande marca criou um padrão e uma máquina específica para a extração. Diante disto, qual comprar?

Cápsulas de Café

Cápsulas de Café

Algumas dicas são muito importantes na hora de escolher:

  1. Disponibilidade – Como se está escolhendo uma marca que irá fidelizá-lo teoricamente para sempre, deve-se verificar – antes de comprar a máquina – qual a facilidade de compra das cápsulas.
  2. Preço das cápsulas – É importante pesquisar a média de preço das cápsulas, pois a tática que as empresas usam é vender a máquina por um valor atrativo e cobrar mais nas cápsulas.
  3. Variedade – Novamente vale avisar que se está casando com uma marca, então, verifique antes se existe uma variedade suficiente de café para que, em 1 ano, não se enjoe da marca (faz-se exceção no próximo item).
  4. Genéricos – Atualmente, temos disponíveis cápsulas de marcas diferentes, que produzem cápsulas compatíveis com determinadas máquinas de café. Terror das grandes marcas, as cápsulas “genéricas” são importantes pois dão mais opções ao consumidor e podem colaborar para a redução dos preços – o que não significa que a qualidade seja igual a das cápsulas “originais”.

O mais importante nas cápsulas de café é que elas despertaram nas pessoas essa vontade de conhecer mais sobre, de querer algo melhor, prático. Foram muito importantes, principalmente no Brasil que tem enraizado a cultura do café de coador, com muito açúcar e em muitas vezes, sem qualidade.

 

24 de Maio – Dia Nacional do Café

“Para fazer o café, o ideal é moer os grãos na hora, e que estes sejam saudáveis, inteiros, muitos deles cultivados nos sombrios de montanha, e melhor ainda se o sombrio for de cacaueiros, de ingás, de bacuparis. Isso é o ideal, não o indispensável. O que é indispensável, sim, é moer os grãos pouco antes de coar o café e usar um aparelho que faça passar a água quase fervendo, lentamente, pelo pó. Os italianos descobriram bons métodos para fazer isso, mas os turcos também, com sua canequinha de boca afunilada, e os nórdicos com sua jarra que filtra com um êmbolo. Todos são bons métodos para fazer café”

(Héctor Abad, in: Livro de receitas para mulheres tristes. Cia das Letras).

Café - Splash

Mascote Guia do Cafezinho

O Guia do Cafezinho está com um novo integrante. Ajude-nos a escolher seu nome, comentando este post, enviando-nos um e-mail ou deixando as sugestões em nossa página do Facebook. Não esqueça de se identificar!

Mas apresse-se, pois o nome deve ser enviado até 28/04/2013!

Mascote

Mascote

A melhor sugestão ganhará um presente especial!

Participe!!!

Feliz 2013!!!

Nós, do Guia do Cafezinho, desejamos a todos que nos acompanharam neste ano de 2012 um Feliz Ano Novo, repleto de saúde, amor e paz!

Feliz 2013

Feliz 2013

Gostaríamos de aproveitar para agradecer a parceria firmada com Lewe, que tem agregado qualidade e variedade a nossos itens de cena! Agradecemos, ainda, a surpresa das canequinhas comemorativas.