Baratza Wario-W

Conheci este moedor de café durante minha visita à sede das Fazendas O’Coffee, em agosto de 2014 e, desde então, não descansei até conseguir adquirir um. Entrei em contato com o fabricante nos Estados Unidos e, depois de um tempo, me passaram o contato da empresa que representa a marca aqui no Brasil.

Pra minha surpresa, os produtos da marca Baratza são comercializados por uma empresa em São Paulo, a Libermac. Então, finalmente, comprei um para mim.

Baratza Wario-W

Baratza Wario-W

Em minha opinião, este é o melhor moedor de café para uso residencial e para pequenas e médias cafeterias. Antes de começar a detalhar suas qualidades, vou citar duas coisas que eu não gostei no moedor, mas que não tiram dele o adjetivo de melhor moedor.

Ele não vem com um manual, ou seja, apenas um Guia Rápido o acompanha e se quiser o manual, você tem que baixá-lo do site do fabricante. E se não souber uma língua estrangeira, vai ter que se virar com o Guia Rápido em outra língua mesmo. Sua tomada não vem no controverso padrão brasileiro, então, tenha em mãos um adaptador.

Baratza Wario-W

Baratza Wario-W

Deixando essas peculiaridades de lado, vamos falar um pouco do que ele tem que o coloca tão à frente dos concorrentes. Sua estrutura é muito resistente e leve, seu design é fantástico, tornando-o muito intuitivo na hora de usar. Alguns detalhes mostram a preocupação do fabricante com o contentamento do cliente, como as duas ferramentas que o acompanham: uma para regulagem das lâminas do moinho e a outra para a limpeza interna – elas têm um acabamento fantástico. A chave de abrir e fechar a saída da cuba de café é algo que não se vê por aí. Inúmeras foram as vezes – utilizando outros moedores – em que derrubei café no chão enquanto tentava retirar a cuba do moinho.

Baratza Vario-W

Baratza Vario-W

Sua lâmina é cerâmica e ele vem com uma balança digital incorporada, que facilita muito a preparação da quantidade certa de café. Você pode pré-programar 3 pesagens diferentes e reprogramá-las quando conveniente.

Baratza Vario-W

Baratza Vario-W

As escalas de gramatura da moagem do café são de outro mundo. Você tem 10 regulagens de gramaturas diferentes e mais 23 micro regulagens para cada gramatura. Isso lhe dá 230 gramaturas precisamente diferentes. No guia rápido, uma tabela vem com algumas regulagens pré determinadas de fábrica, como por exemplo 6M para Hario ou 10Z para Prensa Francesa.

Comprar um moinho deste significa investir muito dinheiro em algo, pois esse moinho é caro. Mas ele vale cada centavo investido se você estiver buscando um nível mais elevado de café.

Especificações Técnicas:
Velocidade para Moer: 1,6-2,2 g/sec.
Capacidade café em grãos: 227 g
Capacidade café moido: 170 g
Peso: 4,1 kg
Dimensões: 13x36x18 cm
Voltagem: 120 V AC 180 Watts 50/60 Hz. 1.5 Amp
230 V AC 180 Watts 50/60 Hz. 0,8 Amp
Velocidade: 1350 RPM

Moedor Breville BCG450XL

Este moedor de café é uns dos mais completos moedores para uso doméstico que já tive a oportunidade de usar. Seu corpo é construído de plástico e aço inox – o que lhe assegura boa resistência ao tempo.

Possui grande variedade de regulagem da moagem, que vai de café turco, passando por coador ou filtro, espresso, prensa francesa, cafeteira italiana até uma moagem bem grossa.

Moedor Breville BCG450XL

Moedor Breville BCG450XL

Seu temporizador permite regular a quantidade de doses a se moer, de acordo com o tempo, de 5 a 30 segundos. A capacidade máxima de moagem é de 250g por vez, o que lhe garante uma boa autonomia para uso doméstico.

Seu moinho é composto por dois cilindros metálicos que podem ser desmontados para limpeza.

Sua desvantagem é de não ser encontrado para comercialização aqui no Brasil, mas pode ser comprado pela internet (em sites como Ebay e Amazon) por cerca de USD 102,00. Também não existe assistência técnica para ele em nosso país ainda.

 

Moedor Espressione Java

Seu corpo é construído principalmente por plástico, possuindo detalhes em inox que lhe dão leveza e relativa durabilidade. Permite selecionar a espessura do grão em vários níveis de regulagem, assim como selecionar a quantidade de café que se deseja moer, de acordo com a quantidade de xícaras.

Espressione Java

Espressione Java

Sua regulagem mais fina é indicada para coadores de papel e de pano. Selecionando uma espessura mais grossa, obtém-se pó para cafés espressos, podendo alcançar regulagens ideais para prensa francesa e cafeteira italiana.

Espressione Java

Espressione Java

Seu uso é recomendado para pequenas quantidades de café, ideal para se ter em casa.

Especificações técnicas:
Voltagem: 120v
Potência: 120w

Este moedor de café nos foi enviado pelo parceiro Café Fácil.

Moedor Automático Ditting 804 (CH-8184 Swiss)

Dentre todos os moinhos que tive a oportunidade de conhecer, este com certeza é o melhor. Incrivelmente rápido, com grande regulagem de espessura do pó, ele é mais indicado para uso comercial.

Neste modelo, colocamos os grãos de café em seu tanque, na parte superior do equipamento. Depois, deve-se escolher a moagem desejada, que vai em escalas de café turco (muito fino), passando pelo café de coador, café espresso, até chegar em sua espessura máxima.

Depois de colocados os grãos e escolhida a moagem, deve-se fixar uma embalagem – de plástico ou papel – na saída do moinho que, durante a moagem, produz pequenas vibrações para melhor acomodar o pó.

Moedor Automático Ditting 804

Moedor Automático Ditting 804

O ponto negativo deste equipamento é que ele não é comercializado no Brasil, apenas na Europa e EUA. Seu preço lá fora gira em torno de USD$ 2.500,00.

Moedor Automático Ditting 804

Moedor Automático Ditting 804

Informações técnicas:

Voltagem/frequência/fase – 220-240 V / 50 Hz / 1
Potencia do motor – 0.5 kW
Velocidade de moagem – 500 g/min
Capacidade – 500 g
Diâmetro do disco de moagem – 80 mm
Peso – 22.5 kg
Dimensões (w x d x h), mm – 200 x 260 x 480
Cor: Preta

Moedor Automático Cuisinart DCG-20N

Este moedor é o modelo mais simples dos automáticos. Não possui regulagem de espessura dos grãos e, teoricamente, a espessura é definida pelo tempo da moagem, ou seja, para um pó mais fino deve-se deixar o moedor mais tempo ligado.

Apesar da falta de precisão na espessura, este modelo é particularmente barato, podendo-se encontrar produtos similares – de outras marcas – a partir de R$ 30,00. Fiz uma prévia pesquisa antes da publicação e encontrei este moedor à venda por R$ 120,00.

Moedor Automático Cuisinart DCG-20N

Moedor Automático Cuisinart DCG-20N

Não é o moedor que eu mais recomendo, mas se você está com um orçamento curto e quer moer seu próprio café, pode-se começar com este tipo. Devo confessar que, na verdade, este foi meu primeiro moedor.

Ele tem um compartimento na parte de baixo que permite guardar todo o fio, o que facilita muito a guarda do moedor dentro da caixa ou em armários.

Sua capacidade é de aproximadamente 1 xícara de chá de grãos de café, que rende, em média, 12 xícaras de café. Na foto acima, eu moí de uma só vez toda sua capacidade, durante aproximadamente 1 minuto.

Moedor Automático Cuisinart DBM8

Extremamente prático, este moedor automático é um bom custo benefício para quem quer praticidade na hora de moer e preparar seu café. Construído em aço escovado, ele aparenta ter boa durabilidade.

Moedor Automático Cuisinart DBM8

Moedor Automático Cuisinart DBM8

Com uma boa capacidade, seu tanque superior pode ser abastecido com bastante café – acredito que caibam quase 250g de café em grãos.

Possui ainda um outro compartimento – com tampa – onde o café recém moído é armazenado. Isso facilita a limpeza do local e o transporte dos grãos.

Moedor Automático Cuisinart DBM8

Moedor Automático Cuisinart DBM8

Este moedor permite selecionar uma vasta gama de configurações de espessura do pó (18 variações), entre o mais fino e o mais grosso. Além disso, existe um contador em sua parte superior, que permite programar a quantidade de pó de acordo com a quantidade de xícaras de café que você deseja extrair, ou seja, se você vai servir 18 pessoas, coloque o seletor em 18 e simplesmente aperte o botão. Isso tudo garante um café moído na hora do preparo, para qualquer meio de extração.

Moedor Automático Cuisinart DBM8

Moedor Automático Cuisinart DBM8

Moedor Manual Cia das Ervas

Simples, relativamente barato, fácil de se encontrar e pode ser usado como peça de decoração. Uma boa pedida para quem quer parar de comprar café moído e dar um upgrade na qualidade do café de seu dia a dia.

Dentre todos os moedores caseiros que conheço, este é o mais simples. Não precisa de energia elétrica ou pilhas, apenas café e um pouco de força.

Moedor Cia das Ervas

Moedor Cia das Ervas

Este moedor manual não permite a regulagem da moagem. Neste meu teste, a moagem do café ficou fina, ideal para filtro de pano ou papel, mas também consegui uma boa extração na prensa francesa. Não sei se todas as peças são padronizadas, acredito que devam ser.

Moedor Cia das Ervas - Espessura do pó

Moedor Cia das Ervas – Espessura do pó

Quando em sua capacidade máxima, ele rende aproximadamente 2 1/2 colheres de sopa de café em pó moído, mas em sua gaveta inferior cabe mais que isso.

O processo de moagem é muito simples: coloque o café na parte superior do moedor e gire a manivela repetidamente, até que todos os grãos tenham sido moídos. Repita o processo até que consiga a quantidade de pó desejada. O processo rende o equivalente a 4 doses de café, mas isso pode variar dependendo do método de extração. Leia um pouco mais sobre isso em: Cafeteiras e a extração do café

 

Moedor Cia das Ervas - Café

Moedor Cia das Ervas – Café

Moedores de Café (Caseiros)

Os moedores de cafés são responsáveis pelo resultado final de um café bem extraído. Eles determinam para qual meio de extração o café vai ser destinado. Você pode ler um pouco mais sobre extração de café em: Cafeteiras e a extração do café

Moedores de Café

Moedores de Café

Os moedores podem ser separados em dois grupos principais:

  • Manuais
  • Automáticos

Os moedores manuais costumam dar um pouco mais de trabalho, tanto para regular como para extrair o café, mas, em contrapartida, servem como uma terapia para o apreciador. Manusear um moedor e moer o café pode ser uma atividade muito prazerosa, repleta de aromas, texturas e cores.

Dentre os moedores manuais, ainda não tive a oportunidade de experimentar um em que eu pudesse regular a moagem (mais fina ou mais espessa), ou seja, eles geralmente vêm com uma pré-definida mecanicamente e isso a torna impossível de ser alterada manualmente.

Moedores Automáticos ou Elétricos nos dispensam de usar força ou tração manual para a moagem. Geralmente possuem uma interface mais simples e fácil de se utilizar. Na grande maioria deles, você escolhe a espessura do pó e aperta um botão. Substituindo a “prazerosa atividade manual” por um curto apertar de botão, muito mais prático no mundo de hoje.

Tive a oportunidade de usar alguns moedores automáticos, de diversos países. Percebi uma certa excelência nos moedores de origem suíça, porém, estes são mais caros também. Existem modelos bem básicos e compactos, onde você apenas coloca uma ou duas doses de café e pressiona o botão por um tempo, proporcionalmente à espessura do pó desejado, ou seja, quanto mais tempo, mais fino será o pó extraído.

Existem ainda, modelos onde você regula a quantidade de doses desejada, a espessura do pó e simplesmente aperta o botão.

Nesta nova seção do site, farei análise de diversos moedores, expondo suas características, tanto positivas como negativas.

Cafeteiras e a extração do café

A forma como extraímos o café é muito importante e influencia em muito o resultado final da bebida. Quanto mais tempo o pó fica em contato com a água quente, mais é extraído do café, inclusive a cafeína. A moagem também é determinante na extração. Quanto mais fina for, mais se extrai do café e mais encorpado e robusto ele fica.

Existem várias formas de se extrair o café, as principais são:

  • Coador (filtro de papel ou pano)
  • Cafeteira Italiana ou Moka
  • Prensa Francesa
  • Ibrik
Cafeteiras

Cafeteiras

Coador (Filtro de papel ou pano)

Este talvez seja o método mais utilizado no Brasil. Acredito que em quase todas as casas exista um suporte para filtro de pano – pelo menos nas casas de nossos avós.

Esta forma de extração é muito simples e fácil de se obter. Atualmente, é muito mais fácil de se encontrar nos mercados o café com a moagem correta para este tipo de extração, que deve ser mais grossa que a do Ibrik e mais fina que as demais.

Evite deixar a agua muito quente, a temperatura deve estar entre 75 e 85 graus célsius. Lembre-se que a água “ferve” a 100 graus célsius (CNTP). Não vou falar muito deste tipo de extração pois ele é bem simples e não tem muitos segredos, basta atentar-se para algumas dicas importantes:

  • O filtro de papel ou pano deve se encaixar de forma adequada ao suporte ou porta filtros;
  • A disposição do pó dentro do filtro é muito importante, espalhe-o uniformemente.
  • Nunca reutilize o filtro de papel ou mesmo o pó;
  • Procure usar água mineral ou mesmo filtrada.

Cafeteira Italiana ou Moka

Inventada pelo italiano Alfonso Bialetti em 1933, é uma forma muito interessante de se extrair o café. Devemos utilizar o café com uma moagem mais grossa, uma dica é começar com algo um pouco mais grosso que a peneira interna e ir engrossando, conforme o resultado.

Antes de começar, verifique se a cafeteira está bem limpa, repare se os poros da peneira estão desobstruídos. Isso é muito importante para um bom resultado.

Coloque água na parte inferior da cafeteira (mineral ou filtrada), até o nível da válvula de segurança. Coloque o pó de café no funil e o posicione dentro da cafeteira. Lembre-se de distribuir o pó de forma uniforme e de não pressioná-lo.

Encaixe e rosqueie as partes, tomando o cuidado para que tudo esteja bem encaixado e vedado. Coloque na parte superior algumas gotas de água para evitar que o café se queime na hora em que ele sair.

Coloque a cafeteira no fogo e fique atento para a hora em que a água começa a “ferver”, pois esta é a hora correta de retirar a cafeteira.

O café extraído é saboroso, geralmente forte e encorpado, devido ao tempo de extração mais elevado que o espresso.

Cafeteira Italiana

Cafeteira Italiana

Prensa Francesa

Inventada por volta do século XIX, essa forma de extração é muito utilizada hoje em dia e assim como as demais, não tem muitos segredos.

A moagem é basicamente igual a da Cafeteira Italiana, devemos usar o pó um pouco mais grosso que a peneira interna e ir engrossando conforme sua preferência.

Antes de começar o preparo, pré aqueça o recipiente de vidro. A dosagem de café utilizada varia de gosto pra gosto, mas a recomendada é 1g de café para cada 10ml de água. Eu utilizo 1 colher de sopa de pó para cada xícara de água.

Coloque a dosagem de café no recipiente e depois despeje a água quente. Misture tudo e deixe repousando de 3 a 5 minutos. Coloque a tampa com o pistão e, passados o tempo de repouso, comece a baixá-lo lentamente, separando os grãos moídos do café extraído.

Das formas manuais de extração, a prensa francesa é a que eu mais gosto.

Prensa Francesa

Prensa Francesa

Ibrik

O Ibrik é usado para o preparo do café turco. Este café é bem forte e de todos é o que tem a maior concentração de cafeína, devido ao longo tempo de extração que o pó é submetido.

Para o preparo do café turco, você precisa de uma moagem ultra fina, bem semelhante a um “pó” de café mesmo.

Coloque a água no Ibrik e deixe ferver. Depois de fervida a água, coloque o pó (mantendo a proporção de 1g para 10ml) e misture tudo. Deixe ferver por mais 3 vezes, sempre retirando do fogo e esperando baixar a água após cada fervura.

Neste preparo, podemos adicionar ao pó de café algumas especiarias, como Anis Estrelado, Canela e Cardamomo, o meu preferido.

Ibrik

Ibrik

 

Fiquem à vontade para me convidar para seu próximo café!