Análise – Café de Altura (Bolívia)

“Cavalo dado não se olha os dentes”! Esse é o ditado, mas peço desculpas à minha amiga Karolina, que me deu este café. Não pude resistir à tentação de analisá-lo!

Este café boliviano é cultivado em grandes altitudes e, segundo o site do produtor, é cultivado na sombra e colhido somente os grãos maduros. Esta prática de colheita eleva em muito a qualidade do café – gostaria muito de vê-la sendo praticada aqui no Brasil com mais frequência.

Como este café já veio moído, não pude analisar os grãos e ponderei por muito tempo acerca de como fazer com a nota deste quesito. Uma análise mais profunda nos quesitos de equilíbrio me levaram a acreditar que os grãos só poderiam ser bons e regulares, por isso vou dar uma nota 4,00 – mesmo não tendo-os visto.

Usei o método de extração por coador de papel e fui muito feliz já na primeira extração.

Café de Altura - Coador

Café de Altura – Coador

Extremamente aromático, tanto antes como depois da extração, seu perfume foi cômodo a cômodo deixando sua marca aqui em casa.

Café de Altura

Café de Altura

O que mais me chamou à atenção na bebida foi o incrível equilíbrio entre amargor, doçura e acidez. Não pude perceber nenhum deles se sobressaindo, era como se estes quesitos não existissem e existissem ao mesmo tempo.

Café de Altura

Café de Altura

Resultado da análise:

  • Facilidade de compra: 1,00
  • Embalagem: 4,00
  • Qualidade do pó: 4,00
  • Aroma pré extração: 4,50
  • Aroma pós extração: 4,50
  • Corpo: 3,50
  • Acidez: 5,00
  • Doçura: 5,00
  • Amargor: 5,00
  • Aftertaste: 4,50
Total de pontos no Ranking: 41,00 pontos

2 ideias sobre “Análise – Café de Altura (Bolívia)

Deixe uma resposta